O dia que o mundo parou para prestar atenção num mesmo foco.

Que loucura estamos vivendo! Ao acordar nos deparamos em meio de uma grande tempestade, algo invisível, perigoso que nos assusta. Tudo do nada perdeu seu encanto, mas a vida continua linda.




A Disney parou e Paris perdeu seu romantismo. Nenhum país é mais uma fortaleza, a China está com suas portas fechadas. A Itália, no meio de tantas mortes sem nenhum disparo de qualquer arma de fogo, nunca se viu, talvez, envolvida no meio de tantas orações. Acordamos perdendo toda a nossa liberdade de ir e vir. Talvez até possamos cogitar em ir, mas não devemos. Contudo, não perdemos a vida. Estamos envolvidos no medo e sofrendo os impactos de uma pandemia que ronda e assola a todos. As pessoas se protegem, cada uma, da melhor maneira que pode: vivemos um grande isolamento social. Ah! Nossos filhos querem nos ver, mas somos obrigados a falar que, por amor, não. E os nossos netos nenéns, pequenos ou maiores foram privados do abraço dos avós. Como nós, pais, falamos para nossos filhos não entrarem em nossas casas, ainda que nos custe a vida? São muitos sofrimentos de todos os lados. Cada um numa realidade diferente, todavia, a verdade é que estamos sofrendo. Os que estão na área de risco somados a idade, mas ainda com uma vida ativa, sofrem ainda mais, e eu me solidarizo com eles nessa hora. Do nada, o poder do dinheiro perde seu valor, talvez para algumas pessoas não.Entretanto, há aqueles que se preocupam com o próximo, oferecendo um pouco daquilo que possuem para os que não tem nem onde trabalhar. São muitos aprendizados, mas especialmente para mim, está sendo perceber a grandiosidade do amor de Deus por uma humanidade que corria tanto sem nem ao menos se preocupar com um bom dia dentro de suas casas ou dentro de um elevador e agora não podem sequer abraçar seus filhos como proteção e por amor. Desejo a todos muitos aprendizados, principalmente o de apreciar e valorizar as pequenas coisas, o de entender que o outro sofre como você, e o da gentileza em dividir as tarefas do lar. Quantas vezes você procura o sol para tomar um pouquinho de sua luz, quando antes sequer percebia sua existência. Há momentos que parece que ninguém te compreende e aqui vai uma dica: arrume um canto, sente-se e acalme sua criança interior, ela está com tanto medo do perigo que acaba desarmonizando você. Isso porque um dia ela sofreu pela sua sobrevivência ameaçada, e ela quer dizer para você que está com medo de sofrer de novo. Acalme-a! Diga que temos razões hoje para sofrer, diga que você cresceu e pode pedir para que ela se acalme, que tudo é temporário, que vai passar e que você tomou consciência da necessidade de se cuidar por amor a você mesmo, mas também pelas pessoas que você ama e por toda humanidade! Fique bem, vai passar! Sejamos obedientes.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo